Serra do Tepequém, uma aventura

A Serra de Tepequém tem inúmeros atrativos e um riquíssimo artesanato em pedra-sabão. O turista conhece as modificações sofridas pela natureza devido à exploração de diamantes ao longo dos anos. Visitar a Serra do Tepequém em Amajarí é uma experiência ecológica inesquecível, além de proporcionar a realização de caminhadas em trilhas que se completam com lindas paisagens naturais, e próximas a sublimes Cachoeiras.

 

No percurso, imensos buritizais são avistados e descortinam em belas perspectivas naturais das lindas formações vegetais em combinação perfeita com a fauna existente, espécies de pássaros e macacos, formando um grande painel verde. O local é ideal para a prática do trekking (caminhada), até as cachoeiras do Paiva, Sobral, do Barata e do Funil. O visitante mais corajoso pode se aventurar numa subida ao platô, ponto culminante de toda a Serra, onde terá uma das vistas mais sublimes do vale e da cadeia montanhosa que delimita as fronteiras entre o Brasil e a Venezuela.

 

A serra tem uma altitude média de 1.500 metros, no município de Amajarí, é uma atração imperdível, existindo inúmeros produtos e serviços turísticos oferecidos nas vitrines de agências de viagens e turismo.

 

Ambientes espetaculares que aguardam por turistas com o espírito de aventura vindo de toda parte do Brasil e do mundo para apreciar as riquezas dessa sublime paisagem naturais fantásticas.

“Tepequém, quem visita jamais esquece!”

 

Localizado a aproximadamente 210 quilômetros da capital Boa Vista O visitante ao chegar a Vila do Paiva, uma das localidades do município de Amajarí, logo vê a placa “Tepequém, quem visita jamais esquece!” Uma mensagem singular e que traduz o fiel cenário da região. A paisagem que se vê do alto dos 1.150 metros de altitude é de uma profunda contemplação do belo. Mas, para chegar à vila do Paiva, é necessário o mínimo de preparo. O acesso é aberto durante todo o dia, feito por estrada asfaltada. Tepequém é um olhar sobre os biomas de Roraima, um olhar sobre a história humana, geológica e geográfica. Uma diversidade de orquídeas e bromélias aguarda seus sentidos.


Tepequém, as lágrimas que viraram diamantes

 

Conta uma antiga lenda indígena que um vulcão vivia zangado e jorrava suas chamas e lavas a longas distâncias. O fogo derramava suas chamas serra abaixo, as roças de macaxeira, banana e as palmeiras de buriti, tucumã e coco babão viravam cinza e carvão. Na maloca, o Tuxaua, preocupado com a sobrevivência de sua tribo, consultou o Pajé e se reuniram em volta da fogueira. Num gesto de renúncia, as três mais belas índias virgens da tribo se ofereceram em sacrifício e se lançaram no fogo do vulcão, que aplacou sua ira. Suas lágrimas viraram diamantes e até hoje estas lágrimas são encontras na serra do Tepequém.

 

ATRATIVOS: Cachoeiras


Do Barata: o apelido de um antigo garimpeiro batizou essa cachoeira. O acesso é feito por meio de degraus pela trilha que leva as corredeiras. A cachoeira não é muito alta, e a temperatura da água agrada a quem chega ali, ótima para um banho revigorante.


Do Funil: uma das mais belas da região. Para chegar até a gigantesca cachoeira do Funil, o visitante passa pelas antigas trilhas abertas por garimpeiros, é possível visualizar nas marcas nas rochas, o que os garimpeiros passaram para retirar as pedras preciosas, hoje a única riqueza que se leva deste lugar são as imagens e os sons da queda d’água. Aproveite.


Do Paiva: para chegar à caudalosa cachoeira há duas opções de trilha. A mais rápida, tem descida mais íngreme, e conta com apoios e trilhas de chão batido, com escadas para o acesso. Já a mais plana é a mais longa, com acesso um pouco mais fácil e também possui apoios para locomoção. No fim das contas, isso pouca importa, em virtude da recepção sonora que a queda d’água realiza. Prepare-se para um banho revigorante. Quando sair da água, atravesse o rio (cuidado com as pedras) e suba até o platô. Lá em cima, pode-se admirar o visual da planície até onde enxergar a linha do horizonte. Os visitantes costumam utilizar o local para meditação e fotografias

 

Artesanato na Serra do Tepequém

 

Nesse vale de preciosidades, encontramos a pedra-sabão, um mineral rosado, característico da Serra, que é a matéria-prima do artesanato produzido pela comunidade local. A qualidade das técnicas, a consciência sobre a importância da extração controlada e o trabalho coletivo são marcas da produção artesanal em pedra-sabão, que já rendeu um prêmio nacional à comunidade do Tepequém.

Pesquisa

Noticias
18/10/2016 - 12:15 | Alto Alegre
CAPITANIA FLUVIAL
Noticias
18/10/2016 - 11:57 | Boa Vista
TV TRIP BRASIL
Noticias
18/10/2016 - 11:53 | Boa Vista
ESTRUTURAÇÃO DO TURISMO
Noticias
18/10/2016 - 11:48 | Boa Vista
VOO INTERNACIONAL
Noticias
23/08/2016 - 13:08 | Alto Alegre
Mapa do Turismo
Noticias
17/06/2016 - 12:40 | Boa Vista
Infraestrutura
 Notícias