ÁGUAS E FLORESTAS DA LINHA DO EQUADOR

Águas e Florestas da Linha do Equador resume o que há de mais rico na Bacia do Rio Branco. As florestas tropicais são ícones da biodiversidade encontrada aqui. A Linha do Equador marca a localização estratégica de Roraima em relação às Américas do Norte, Central e Sul. Compõem a região os municípios de Caracaraí, Caroebe, Rorainópolis, São João da Baliza e São Luis do Anauá.

 

Rios caudalosos, animais e plantas endêmicas nos coloca em uma atmosfera singular e cheia de surpresas. Aqui você está numa das maiores riquezas naturais do planeta, com o conforto, a calma e a comodidade dos hotéis de selva.


Ao Sul de Roraima, nos Municípios de Caracaraí, Caroebe, Rorainópolis, São João da Baliza e São Luiz do Anauá estão às florestas densas e os rios caudalosos. Ali estão as melhores áreas pesqueiras, onde o turista pode vivenciar a emoção da pesca esportiva com o máximo de conforto e comodidade em hotéis de selva especializados. Com total conforto e tranqüilidade, a região abriga magníficos hotéis de selva, especializados na prática da pesca esportiva. Roraima tem as melhores áreas para a pesca da Amazônia, pela variedade de espécies e pela infraestrutura de apoio. É aqui que o tucunaré reina e fantásticos peixes ornamentais povoam os rios caudalosos que correm pelas densas florestas.


NAVEGUE AS BELEZAS DO BAIXO RIO BRANCO


Essa região, ao sul do Estado, compõe o ecossistema de floresta tropical com rica biodiversidade e rios onde vivem algumas das mais atraentes espécies de peixes para a pesca esportiva. O local possui ótima infraestrutura turística com lodges (complexo de hospedagem) de pesca de qualidade internacional, barcos propícios para a atividade e guias especializados em todos os atrativos existentes no produto turístico preparados para bem receber os brasileiros e turistas advindos de toda parte do mundo. Existem pacotes com duração de sete dias que incluem traslado, hospedagem, alimentação e guia de pesca. O acesso aos lodges se dão por via aérea, e ou fluvial, por meio de pequenas embarcações até os locais reservados para o turismo Amazônico.


Rio Branco do Estado de Roraima


O rio Branco é um rio brasileiro do estado de Roraima que banha a capital do Estado de Roraima - Boa Vista, sendo suas praias de água doce frequentada boa parte verão Amazônico. É formado pela confluência dos rios Tacutu e Uraricoera, trinta quilômetros a norte de Boa Vista. A capital do estado situada no vale do rio, e tem sua foz no rio Negro, no estado do Amazonas.


Sua bacia hidrográfica, sub-bacia do rio Negro, é a principal da região, predominando sobre a mesma. É cortado por duas pontes, uma em Boa Vista (ligando-a ao município de Cantá, Bonfim, Normandia), a ponte dos Macuxi, homenagem a uma das etnias mais conhecidas e que tem recebido maior influência do avanço demográfico, a norte, com cerca de 1.200 metros de extensão, sua moderna estrutura é também um convite aos amantes dos esportes radicais, reunindo inúmeros praticantes de esportes, e por outra ponte em Caracaraí, no centro do estado, com aproximadamente 700 metros de extensão, sua construção representou ampla expansão econômica, consolidando a rota Caribe - Amazônia, fundamental ao desenvolvimento integrado de roteiros turísticos entre os Estado do amazonas e Roraima, bem como a rota de acesso a Amazônia por turistas vindos do Caribe e que visitam os Países vizinhos Guyana e Venezuela e desejem conhecer o rico bioma Amazônico.


O rio Branco, de maneira generalizada, está sob influência de um período de chuvas que vai de abril a setembro e de um período seco que vai de outubro a março, porém os distintos ecossistemas e a biodiversidade existente proporcionam ambientes de pura aventura e descobertas singulares. No período chuvoso, o rio é facilmente navegável do rio Negro até a cidade de Caracaraí, núcleo de pesca profissional e cidade porto, que abasteceu durante anos a população por meio do comércio realizado nesse perímetro. Acima desta cidade a navegação é dificultada pela presença de algumas cachoeiras e corredeiras, mas ao mesmo tempo reproduz contextos encantadores onde a pesca esportiva é motivada com maior frequência por meio da prática da pesca esportiva, sendo que de Boa Vista (cerca de 130 km de Caracaraí) até a junção dos rios Tacutu e Uraricoera é possível a navegação durante o período das cheias, historicamente esse trecho era o único acesso possível, representando significativamente ao modelo de comercialização baseado também na troca de especiarias por comerciantes com ribeirinhos e a população da capital.


O rio Branco tem seu curso dividido em três segmentos devido ao tipo da biodiversidade em cada trecho:


Alto rio Branco: é o segundo maior segmento, com 172 quilômetros. Começa na confluência dos rios Uraricoeira e Tacutu, passa por Boa Vista, e termina na cachoeira do Bem-Querer. Caracteriza-se por apresenta-se bastante largo nesta região, porém pouco profundo, especialmente no período seco, época em que se evidencia um grande número de bancos ou ilhas de areia freqauentadas por turistas que tem a oportunidade desfrutar de tardes Amazônicas cálidas; na cobertura vegetal predomina a presença de savana e alguns trechos com palmeiras, onde surgem os nossos típicos Buritizais, árvore predominante em boa parte do Estado, sua rica composição de nutrientes colocam-na em um importante nível consumo por pessoas que utilizam sua matéria-prima a elaboração de excelentes pratos gastronômicos e guloseimas.


Médio rio Branco:
é o menor segmento, com 24 quilômetros. Começa na corredeira do Bem-Querer e vai até o povoado de Vista Alegre, as carredeiras desperta o espírito aventureiro por proporcionar enorme adrenalina e por combinar em seu trajeto uma perfeita sinergia entre a floresta densa, e leito do rio com águas límpidas e repleta de rica fauna. É uma área de transição, com várias corredeiras, o que o torna inavegável por embarcações de grande porte. A vegetação também representa transição, conhecida por muitos como Mosaicos Amazônicos, pois é uma mistura das vegetações existentes no norte e no sul do estado, com domínio das savanas, igarapé, BURITIZAIS e floresta Amazônica.


Baixo rio Branco: é o maior segmento, tem 388 quilômetros. Parte de Vista Alegre e corta todo o centro-sul de Roraima até encontrar-se com o rio Negro. Este, por sua vez, após passar por Manaus, une-se ao rio Solimões e a partir dessa união este último passa a chamar-se rio Amazonas, o mais volumoso do mundo. O Baixo rio Branco possui um ecossistema de floresta tropical rica em biodiversidade, com sua vegetação densa e abundante, com exuberante fauna e flora. Apresenta águas ácidas de superfície escura onde vivem algumas das mais atraentes espécies de peixes para a pesca esportiva do Tucunaré, uma das espécies mais almejadas pelos pescadores, por ser em sua maioria grandes peixes, com belíssima pigmentação.

Pesquisa

Noticias
18/10/2016 - 12:15 | Alto Alegre
CAPITANIA FLUVIAL
Noticias
18/10/2016 - 11:57 | Boa Vista
TV TRIP BRASIL
Noticias
18/10/2016 - 11:53 | Boa Vista
ESTRUTURAÇÃO DO TURISMO
Noticias
18/10/2016 - 11:48 | Boa Vista
VOO INTERNACIONAL
Noticias
23/08/2016 - 13:08 | Alto Alegre
Mapa do Turismo
Noticias
17/06/2016 - 12:40 | Boa Vista
Infraestrutura
 Notícias