Observação de Aves

O Brasil é um dos países mais ricos em espécies de pássaros do mundo. São mais de 1.700 espécies identificadas. Só em Roraima já foram registrados 750 espécies de aves, distribuídas em seus diferentes ambientes, das quais 40 são endêmicas. Por aqui, o turismo para a Observação de Aves está começando, e o destino Roraima se apresenta como uma nova e boa opção pela sua rica biodiversidade. Recentemente foi lançado o Guia de Aves de Roraima, onde foram catalogadas 250 aves, o que demonstra o enorme potencial que existe por aqui.

A região neotropical é considerada a área com o maior número de espécies de ave do mundo. Estima-se que, nessa região, sejam encontradas 3.300 espécies, cerca de 34% das aves do planeta. O Estado de Roraima é a porção brasileira mais setentrional, ocupando uma área total de 225.116,10 km². O Estado pode ser dividido em três grandes formações vegetais (florestas, savanas e campinaranas), nas quais podem ser encontradas 834 espécies de ave, que representam 57% de todas as aves encontradas na Amazônia.

 O número de espécies registradas por unidades biogeográficas no Estado é: Tepuis (389 espécies), florestas do baixo Rio Branco (578 espécies) e região de savanas (298 espécies). Além disso, somente em Boa Vista, é fácil observar por volta de 40 espécies que existem exclusivamente na região, como: teu-téu-da-savana (Burhinus bistriatus), Pedro-celouro (Sturnela magna), uru-do-campo (Colinus cristatus), chororó-do-rio-branco (cercomarcra carbonária), joão-barba-grisalha (Synallaxis kollari), entre outras.

A região das Serras possui uma diversidade de aves muito interessante e como característica muitas dessas são endêmicas da região, estamos aqui falando de aves que vivem em altitudes superiores as 900mts, dentro deste ambiente consideramos a região do Amajari, mais especificamente a serra do Tepequém, Pacaraima que é fronteira com a Venezuela e local onde a transição entre a floresta amazônica e savanas baixas com a Gran Savana venezuelana.

 

Vila do Tepequém

Entre os vários destinos para os amantes de aves em Roraima, a Serra do Tepequém é um dos mais interessantes pois possui relevo montanhoso em meio a toda planura do restante do Estado o que resulta no grande número de aves raras que podem ser avistadas por lá. A vila hoje dispõe de uma boa infraestrutura turística para receber seus visitantes, e pouco a pouco vem se especializando em receber observadores de aves. Nas imediações da via é possível ver os belíssimos japu-verde(Psarocolius viridis), gralhas-violáceas (cyanocorax violaceus), o tem-tem-de-dragona-vermelha (tachyphonus phoenicius), algumas mariquitas migratórias como a mariquita-de-rabo-vermelho(Setophaga ruticilla), mariquita-de-perna-clara (Setophaga striata), o picapauzinho-ondulado(Picumnus undulatus), o pula-pula-da-guiana(Myiothlypis mesoleuca), entre tantas outras espécies de sanhaçus, beija-flores, saíras e araras. De fato, é uma boa opção para a observação de aves. A vila fica a aproximadamente 200km de Boa Vista, valendo a pena ao observador aproveitar também a estrada e o deslocamento para tentar alguns bichos como o trombeteiro(Cercibis oxycerca), Pedro-celouro(Sturnella magna), caboclinho-lindo(Sporophila minuta) e uru-do-campo(Colinus cristatus).

Pacaraima

Pacaraima é a cidade fronteiriça brasileira na fronteira com a Venezuela na margem sul da Gran Sabana. Aqui há possibilidades de encontrar algumas áreas de floresta que possivelmente possa aparecer algumas aves endêmicas do pan-tepui. Há algumas áreas bem interessantes na borda com as matas da fazenda Trigenros e a trilha do Miang, esta segunda havendo algumas restrições de visitação por ser área indígena, mas pela falta de controle é possível passarinhar tranquilamente. Este local possui grande umidade e há sempre diversos bichos pelo local, como o cabeça-de-ouro(Ceratopipra erythrocephala), tangará-riscado(Machaeropterus striolatus), surucuá-mascarado (Trogon personatus), saíra-negaça(Tangara punctata), , chororó-escuro (Cercomacroides tyrannina) e outros mais, vale a pena explorar o local, pois ainda são poucos os registros da área.

 

Caracaraí e Parque Nacional do Viruá

 

O Parque Nacional Viruá está localizado no município de Caracaraí, no centro-sul de Roraima. O Parque abrange uma área de pouco menos de 216 000 hectares e abriga uma impressionante variedade de habitats incluindo campinas abertas, campinaranas, floresta, floresta alta de terra firme e Várzeas que se estende ao longo do Rio Branco. Algumas áreas do parque são acessadas facilmente (É necessária uma autorização IBAMA / ICMBio) da BR-174 ao sul de Caracaraí, onde pode-se chegar a Estrada Perdida. Esta é uma pavimentação de piçarra elevada que foi construída como parte da estrada principal entre Boa Vista e Manaus, foi abandonada durante a construção quando os engenheiros que a construíram perceberam que estavam construindo rumo a um enorme pântano. A estrada se estende por muitos quilômetros até as campinas e campinaranas, mas depois de uma distância curta, os veículos são impedidos pelos primeiros bueiros rompidos por aguas das margens da estrada.  Na estação seca, pode-se facilmente ignorar estes obstáculos a pé, mas quando as valas estão cheias na estação úmida, você deve estar preparado para andar na água que pode chegar ao peito altura ou superior. O caminho mais seco é organizar com a equipe do parque (você precisa estar acompanhado por um funcionário do parque durante sua visita) para trazer um pequeno barco inflável para atravessar o primeiro bueiro.

Inúmeros beija-flores podem ser avistados ao longo da estrada e dos arbustos floridos, assim como a choquinha-de-peito-riscado e guaracava-de-topete-vermelho. Há chance também de avistar o anambé-pompador, pretinho e o papa-capim-de-coleira. Saindo um pouco da estrada perdida e caminhando rumo a campinaranas é onde tentamos encontrar o formigueiro-de-yapacana, geralmente em pequenas capoeiras de mata do local.

A estrada de acesso para a sede do parque segue através de campinaranas e areia branca para florestas, aqui a passarinhada é muito boa, já que diversas aves de terra firme são encontradas ao longo da estrada, com destaque para o mutum-poranga e jacamim-de-costa-cinzentas, e alguns formigueiros, há também algumas trilhas mais fechadas que podem ser bem proveitosas para a observação de aves, além de boas chances de avistar outros mamíferos